HOME PAGE QUEM SOMOS ARQUIVO
 
  Home page
  Reportagens
  Destaques
  Análise
  Diálogos
  Grandes
  nomes
  Ecobreves
  Galeria
  Vídeo
  Contato
  Permissões
  de uso

Ecobreves

 HONDURAS 
 
 Fundos para energia renovável


TEGUCIGALPA, 19 de janeiro (Tierramérica).- O governo hondurenho procura obter US$ 400 milhões para construir duas represas hidrelétricas, que atendam a demanda de energia do país, e promover projetos alternativos renováveis como elaboração de biocombustível, com assessoria brasileira.

O secretário de Meio Ambiente, Tomás Baquero, informou ao Terramérica que o local escolhido para as represas é o departamento de Santa Bárbara, para o qual os estudos de viabilidade e sustentabilidade ambiental começarão em meados deste ano.

Honduras obtém sua energia de três fontes: hidrocarbonos, hídrica e biomassa. Na década de 90, quase toda a energia procedia de hidrelétricas estatais, mas a correlação mudou e agora o país depende em 65% de usinas térmicas à base de hidrocarbonos em mãos privadas.


 MÉXICO 
 
 Importação de carros usados será tóxica


MÉXICO, 19 de janeiro (Tierramérica).- Com a abertura da livre importação dos Estados Unidos de carros com dez ou mais anos de antiguidade, vigente desde o dia 1º de janeiro no México, os índices de poluição poderão disparar, alertam observadores.

Embora a lei indique que poderão entrar no país apenas carros que atendam às normas em seu lugar de origem, não há no México uma infra-estrutura de verificação adequada nem parâmetros ambientais uniformes para evitar uma alta na poluição, disse ao Terramérica o importador Ricardo López.

A compra de carros usados dos Estados Unidos foi liberada devido aos acordos assinados no contexto do Tratado de Livre Comércio da América do Norte.

O México conta com cerca de 27 milhões de automóveis. Estima-se que cinco milhões deles entraram irregularmente, vindos dos Estados Unidos, antes da abertura.


 BRASIL 
 
 Plano energético contradiz o climático


RIO DE JANEIRO, 19 de janeiro (Tierramérica).- Duas semanas depois de assumir metas em seu Plano Nacional de Mudança Climática, o Brasil anunciou seu Plano Decenal de Expansão Energética, que prevê a construção, até 2017, de mais de 80 centrais termoelétricas alimentadas com combustíveis fósseis e 71 hidrelétricas, muitas na Amazônia.

O documento do Ministério de Minas e Energia provocou reações. Segundo a organização Greenpeace, está na contramão de um novo acordo climático, ao ignorar a eficiência energética.

“A contradição” entre os planos energético e climático “não se relaciona apenas com as termoelétricas, mas com uma visão geral, de aumentar a geração enquanto se desperdiça um quinto da energia gerada”, disse ao Terramérica o ambientalista Roberto Smeraldi, diretor da Amigos da Terra/Amazônia Brasileira. O programa implica um retrocesso “se não sofrer profundas correções”, disse a ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.


*Fonte: Inter Press Service.
Assine o boletim semanal do Terramérica!
Reportagem
Florestas tropicais lutam por sua sobrevivência
Dialogues
A água no limite
Inseticida usado em piscicultura pode causar câncer

Pemex quer ampliar cogeração elétrica

Usaid apoia cooperativas agroflorestais

 

Copyright © 2014 Tierramérica. Todos os direitos reservados.